Adestramento e Comportamento, Cães

SEU CÃO TE LEVA PARA PASSEAR?

Passeio é bom e todo mundo gosta!

Bem, quase todo mundo.

Quem tem um cachorro que puxa a guia, às vezes nem tem vontade de sair com ele.

Alguns puxam loucamente durante o passeio inteiro, se engasgam, machucam as unhas. Outros carregam o dono para onde resolvem ir, avançam em outros cães, latem sem parar. Os donos voltam para casa cansados, estressados, frustrados por não conseguirem um passeio mais zen e gostoso.

Sair para passear traz inúmeros benefícios para os cães e para sua família. É uma forma divertida de fazer exercícios, gasta energia física e proporciona estímulos mentais.

Os cachorros se beneficiam de ver cães e pessoas diferentes, novos cheiros e barulhos, facilitando oportunidades de socialização.

A hora do passeio pode sim, ser mais prazerosa e tranquila para todos! Para isso, a escolha do equipamento a ser usado faz TODA a diferença, e é o primeiro passo para mudar o nível de controle e de conforto dos envolvidos.

Margot e Bene #chatiados que não podem mais puxar com o uso do Peitoral de Treinamento…rs

A maioria das pessoas costuma sair com seus cães usando guia + peitoral convencional, ou guia + coleira convencional. Algumas optam por guias curtas, e colares/enforcadores, para tentar conseguir mais controle. Parte dos cachorros se adapta a estes materiais, porém outros fazem do passeio um cabo de guerra cansativo, ou uma guerra mesmo.

Os peitorais comuns estimulam o animal a tracionar, e permitem que ele use sua força para tentar “carregar” você.

As coleiras normais também deixam que o cão apoie seu peso nelas, tornando mais trabalhoso inibir os puxões.

Colocar um enforcador no pescoço do seu cachorro nem sempre resolve, existe uma maneira correta de se utilizar colares para que eles sejam efetivos sem machucar seu bichinho. Na dúvida, procure utilizar ferramentas mais simples e seguras para ele.

A guia ideal deve ser macia, de preferência não pesada, com um mosquetão (presilha) seguro, de comprimento médio, as de 1,5m são as ideais, na minha opinião.

O uso de guias curtas passa ao animal a informação de que ele só conseguirá alguma liberdade de movimentos, se puxar. Uma guia média pode ser mantida dobrada facilmente enquanto você conduz o cão, reduzindo o alcance dele, e assim que houver oportunidade, você pode liberar mais espaço para que ele aproveite o passeio com a guia frouxa.

Cães que já possuem o hábito de tracionar, mas que são dóceis e não costumam latir durante as saídas, podem ter esta dificuldade solucionada com um Peitoral Anti Puxão.

Este tipo de peitoral, diferente dos tradicionais, é especialmente projetado para impedir que o peso do animal seja usado para arrastar o dono para a frente.

Exemplo da Coleira Cabresto, não é enforcador!

Para os casos mais complicados, em que além de puxar a guia, o cachorro apresenta outros comportamentos indesejáveis como avançar em outros cães ou pessoas, latir sem controle quando fora de casa, pular no condutor ou nas pessoas da rua, uma opção que geralmente traz ótimos resultados é a Coleira Cabresto.

Ela controla de forma não agressiva, a cabeça e o focinho do cão, tornando mais fácil que você tenha domínio mesmo sobre um animal forte ou bravo. Você pode limitar movimentos como puxões, tentativas de agressão ou latidos, usando muito menos força e sem enforcar ou machucar seu amigo.

São dicas que funcionam bem com a maioria dos cães, trazendo grandes melhoras!

Cada bichinho é único, e não existe uma receita pronta e infalível que vá torná-lo ainda mais perfeito do que ele já é. Mas seu cachorro sempre merece sua atenção e seu carinho.

Bons passeios!!

Deixe uma resposta