Cães, Gatos, Saúde e Bem Estar

PULGAS E CARRAPATOS: Repelentes Naturais ou Repelentes Químicos?

Hoje vamos falar de um assunto polêmico e aqui expressarei o meu ponto de vista, como mãe de pet e também como Engenheira Florestal, conhecedora de princípios ativos.

A maioria dos produtos químicos indicados para o controle de pulgas e carrapatos em animais domésticos contêm na sua constituição piretrinas ou piretróides (compostos sintéticos derivados das piretrinas).

A permetrina, por exemplo, está presente na maioria dos produtos químicos e tem classificação taxológica nível 2, ou seja, é altamente tóxico e é a mesma classificação que agrotóxicos.

Os casos de intoxicação por permetrina são mais frequentes na espécie felina que na canina. Os gatos, e em especial os mais jovens, têm uma grande sensibilidade à permetrina pois, devido a sua fisiologia particular, são incapazes de metaboliza-la no organismo, por isso, esta substância torna-se um perigo para os felinos!

Os cães podem apresentar sintomas relativamente preocupantes após uma exposição excessiva à substância ou hipersensibilidade à mesma.

A adição de outros produtos similares também pode aumentar o risco de intoxicação, uma vez que as substâncias vão interagir umas com as outras, o que levará a uma metabolização mais difícil e que o resíduo da permetrina no organismo do animal será mais prolongada.

Diversos estudos relatam problemas de tumores em animais pelo uso excessivo destes produtos. Imagine que seu cão viverá longos e felizes 20 anos. Se um ano tem 52 semanas e ele vai usar a cada 4 semanas, logo, serão apenas 260 vezes.

Imagine que, se ele não tinha nenhum problema no fígado, por exemplo, você forneceu doses homeopáticas de veneno que sobrecarregaram o fígado dele.

Ah, sim! O fígado é responsável pela digestão de gorduras, por exemplo e metabolizar os medicamentos ingeridos.

Mas, com toda essa potência, os repelentes químicos são realmente eficazes?

Depende!

Esses venenos contaminam o sangue do animal e o carrapato, por exemplo, precisa picar o animal para morrer. Neste caso, nada impede o animal de contrair Babesiose ou Erliquiose, as famosas “doença do carrapato”, que pode levar à morte do animal.

E os repelentes naturais, são eficazes?

Depende!

Acredito que isolados, eles não sejam 100% eficazes! Mas, em uso associado, absolutamente sim!

Vamos lá, se você fornecer Pó de Neem e Tickz na alimentação e o Ecto Cão na água, o sangue do animal fica “ruim”, evitando a picada e afetando os ciclos de vida e reprodução de pulgas e carrapatos.

O fofinho @raj.dog com seus produtos de Neem

Com a adição do Repel Neem Pronto para Uso você tem a função repelente mesmo, que evita a picada.

Esses produtos naturais não afetam a saúde no animal e evitam a picada, que evita a contração de doenças!

Lembrando que estamos falando apenas do cuidado com o animal e não sobre o cuidado com a casa, pois este item é de extrema importância independe do produto que você usa no animal! Vamos falar disso em uma próxima postagem.

Meu amor pelas minhas filhas de 4 patas (você pode saber mais delas aqui nesse link) é tão grande, que eu não consigo me imaginar sendo responsável por uma futura doença crônica, por exemplo.

Eu não conseguiria olhar para aqueles olhinhos carinhosos, dizer que as amo e mesmo assim, passar algo tóxico nelas. Eu sou responsável por elas, pelo que elas comem, pelo que elas usam. Eu preciso fazer as melhores escolhas se quero que elas levem uma vida mais saudável e melhor!

O momento de aplicar e reaplicar o Spray Repel Neem é o nosso momento de brincar, cuidar e se curtir. Esse contato apenas reafirma o laço que existe entre nós.

Se seu pet também tem medo de usar o spray, pesquise sobre métodos de dessensibilização e aproveite esse momento com seu pet também!

Até o próximo post!

Deixe uma resposta