Cães, Saúde e Bem Estar

O DIA EM QUE A MARGÔ FICOU CEGA – 2ª PARTE

Minha Zoiudinha Linda!

No post anterior relatei como a Margô ficou cega de um dia para o outro e hoje vou terminar de contar a história com um questionário exclusivo do oftalmologista veterinário que curou minha Gordinha.

Como disse anteriormente, eu queria muito uma segunda opinião sobre a cegueira repentina da Margô, foi quando em uma conversa com meu sogro ele indicou o Dr. Jorge Pereira.
Imediatamente liguei para ele e acreditem, só de falar com ele já me senti mais calma… Marquei a consulta para o dia seguinte e lá fui eu novamente com minha “Goti”  e dessa vez com o coração cheio de esperança.
Na consulta ele me informou que precisaríamos fazer um exame para descartar uma doença chama SARDs (mais abaixo ele explica do que se trata), mas que aparentemente deveria ser uma doença chama Retinite Imuno Mediada. Hein??? Pois é…Nunca tinha ouvido falar.
Falou também que se fosse realmente Retinite eu poderia ficar mais tranqüila pois teríamos como tratar e quem sabe reverter a cegueira.

Já nessa consulta o Dr. Jorge resolveu medicar a Margô como se ela realmente tivesse essa Retinite e comecei o tratamento imediatamente.

Nos dias que seguiram corri com os exames pré operatórios, pois a eletroretinografia (exame que ela teria que fazer) necessitava de um certo nível de sedação.

Já nesses dias eu achei que a Margô estava enxergando um pouco, ela começou a seguir os movimentos das nossas mãos e dos brinquedos, estava mais alegrinha e ao fazer o teste com a lanterna a pupila dela também estava respondendo à luz.

Fiquei muito feliz, os medicamentos estavam ajudando!!!

Voltei então ao consultório do Dr. Jorge na semana seguinte e após o exame ele confirmou, a Margô tinha tido um episódio de Retinite Imuno Mediada.

Para falar sobre essa doença, ninguém melhor que o Dr. Jorge, especialista no assunto.
Confira abaixo.

*******************************************************************************************************************************************
Zen Animal: O que é Retinite Imunomediada (RIM)?
Dr. Jorge: Trata-se de uma doença recentemente descoberta, que causa perda da função dos fotorreceptores cones e bastonetes e, em alguns casos, até mesmo cegueira.
É uma doença muito similar à conhecida Degeneração retiniana adquirida súbita (SARD), que ocorre quando os animais produzem auto anticorpos que atacam as células retinianas. Estes anticorpos destroem por engano as células da retina ao invés de destruírem, por exemplo, células cancerosas ou outras que precisem ser eliminadas do organismo.
Basicamente, o que diferencia a SARDS da retinite imuno mediada (RIM) é que na SARDS estes anticorpos são produzidos no olho. enquanto que na RIM, podem ser produzidos em qualquer lugar do organismo e atravessar a barreira sanguínea para atingir o olho.

Zen Animal: Como é feito o diagnóstico?
Dr. Jorge: Diante de um paciente apresentando uma história de cegueira abrupta ou súbita, o diagnóstico se baseia na eliminação de outras causas para doenças de sintomas semelhantes. Não se encontrando uma causa específica e, não sendo possível diagnosticar a SARDS, supõe-se que se esteja diante de um caso de RIM.

Zen Animal: Qual era o quadro clínico da Margô quando ela chegou?
Dr. Jorge: Margô chegou com a história de suspeita de cegueira nos últimos dias que, no dia da consulta, já se configurava em uma cegueira total. Faltava descobrir se seria reversível ou não.

Zen Animal: Essa doença é comum em Bulldogs?
Dr. Jorge: Temos visto estas doenças em raças pequenas em geral. Muitas vezes ouvimos relatos de ganho de peso ultimamente, bebendo mais água que o normal e, da mesma forma, urinando mais, pupilas dilatadas e não responsivas à luz do dia, entre outros.

Zen Animal: Essa doença pode ser hereditária?
Dr. Jorge: Embora não se possa afirmar com certeza, há fortes evidências de que tenha um caráter hereditário envolvido, uma vez que é observada em linhagens de algumas das raças acometidas

Zen Animal: Essa doença também pode acometer gatos?
Dr. Jorge: Não tenho conhecimento de situação similar em gatos, nos quais a cegueira súbita é mais comum (após tratamento com um antibiótico à base de enrofloxacino).

Zen Animal: É comum acontecer quando o cachorro é novinho? A Margô tinha apenas 1 ano e 2 meses quando isso ocorreu.
Dr. Jorge: Sim, é possível ocorrer em animais bem jovens. Na grande maioria ocorre até os 6 anos de idade, o que, para raças pequenas, é uma idade de juventude.

Zen Animal: Ela pode voltar a ter episódios de cegueira?
Dr. Jorge: É importante saber que os episódios podem se repetir no decorrer da vida. A cada episódio, supostamente, a recuperação será menor com perda maior da função visual.

Zen Animal: Qual o tratamento indicado nos casos como o da Margô?

Dr. Jorge: Sendo uma doença imunológica (imuno mediada), o tratamento basicamente é através de imuno supressão e anti inflamatórios.

Zen Animal: Qual dica você pode dar para as pessoas que convivem com cães ou gatos com deficiência visual?
Dr. Jorge: Primeiramente não desistir da visão do animal. Muitas vezes proprietários de animais cegos simplesmente aceitam o fato e deixam a vida ir adiante. Nestes casos de cegueira irreversível, existem muitas dicas de manejo disponível na web, para entender e aprender a lidar com um animal cego. No entanto, o mais importante é o proprietário, responsável, não aceitar, simplesmente, a cegueira do seu animal de estimação. Quem sabe ele ainda tenha a chance de voltar a ser feliz? Procure um Oftalmologista Veterinário.

Jorge Pereira, Oftalmologista Veterinário graduado pela UFF em 1980, pós graduado pelo Caspary Research Institute, NY, em 1990, e pelo Harbour UCLA, Los Angeles, em 1996. Mestre em Ciências pela UFRRJ e com projeto de doutoramento em andamento. Diplomado Oftalmologista pelo colégio Brasileiro de Veterinários Oftalmologistas (CBOV) e pelo Colégio Latino americano de Oftalmologistas Veterinários (CLOVE). Diretor do CEPOV Rio e do CEPOV Teresópolis.

*******************************************************************************************************************************************
Esse ai na foto é o Dr. Jorge com seu cachorrinho lindo! Se você quiser conhecer mais sobre o trabalho desse profissional maravilhoso, é só clicar na foto. O Dr. Jorge atende no Rio de Janeiro – RJ.

Hoje a Margô faz uso de uma vitamina especial para a visão e a recomendação do Dr. Jorge é que ela tome essa vitamina para o resto da vida.

Foi um grande susto para todos nós, mas como toda dor gera um aprendizado, resolvi relatar esse caso aqui no blog para que outros cãezinhos ou gatos possam ser ajudados.
Ser mãe de cachorro (ou gato) também é uma grande responsabilidade. Cães e Gatos não sabem ir ao veterinário sozinhos, portanto, estejam atentos aos sinais que seus bichinhos por ventura possam apresentar.
São vidas que estão em nossas casas e somos responsáveis por sua saúde e manutenção.

Jamais abandone seu filho de quatro patas caso ele apresente alguma doença ou alguma deficiência, com a ajuda de bons profissionais sempre é possível encontrar um caminho e eles merecem nosso apoio até o fim!

2 comentários em “O DIA EM QUE A MARGÔ FICOU CEGA – 2ª PARTE”

  1. Bom dia prezados, tenho uma Cocker de 10 anos, Chamada Kika, que está com catarata. Buscando no google encontrei vcs. Gostaria de saber quanto custa a cirurgia. Se não for muito caro gostaria de fazer com vcs. Não tenho muitas condições, mas se puder preciso devolver a visão de minha bichinha, que é minha filha de quatro patas, já que não posso ter filhos. Obrigada por sua atenção. Aguardo resposta.

Deixe uma resposta